Obrigado Cize - Site Especial Cesária Évora - SAPO Cabo Verde

Personalidades internacionais lamentam morte de Cize

Várias personalidades internacionais mostraram o seu pesar perante o falecimento da Diva dos Pés Descalços.

O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, expressou hoje a sua "profunda consternação" pela morte de Cesária Évora, salientando que tanto Cabo Verde como Portugal choram o falecimento desta "excepcional" interprete.

"Foi com profunda consternação que tomei conhecimento do falecimento de Cesária Évora. Dirijo antes de mais uma palavra de condolências e profundo pesar à sua família e amigos próximos, bem como ao Governo e povo cabo-verdiano", refere Pedro Passos Coelho na sua mensagem, à qual a agência Lusa teve acesso.

Segundo o primeiro-ministro português, "não é apenas Cabo Verde que chora o desaparecimento de Cesária, Portugal chora também com Cabo Verde".

Presidente da República portuguesa, Aníbal Cavaco Silva, lamentou hoje a morte de Cesária Évora, que considerou ser um "símbolo eloquente da música e da alma de Cabo Verde".

Em comunicado divulgado no "site" da Presidência da República de Portugal, Cavaco Silva sublinhou que Cesária Évora foi uma "artista singular, que tão bem soube exprimir a cultura e a tradição musical da sua terra, muito para além das fronteiras da Língua Portuguesa".

Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia enviou uma mensagem de condolências ao Presidente da República e ao primeiro-ministro de Cabo Verde a lamentar o desaparecimento de Cesária Évora, destacando o reconhecimento que a cantora “granjeou pelo mundo fora”.

“Com Cesária Évora desaparece uma intérprete excepcional e singular que encurtou «esse caminho longe» de Cabo-Verde até ao resto do mundo e do resto do mundo até Cabo-Verde”, escreve Durão Barroso, na mensagem a que a Lusa teve acesso.

De acordo com o presidente da Comissão Europeia, “o reconhecimento que Cesária Évora granjeou pelo mundo fora é também um tributo directo a Cabo-Verde, às suas gentes e às suas tradições o que muito orgulha todos os amigos do país e os admiradores da sua cultura”.

O Secretário de Estado da Cultura de Portugal, Francisco José Viegas, lamentou o falecimento da artista e afirmou que "Cesária Évora foi uma das vozes mais expressivas e originais da música mundial.

"A qualidade da sua voz era de alcance universal, e o reconhecimento internacional que obteve comprovou isso mesmo," concluiu.

O secretário de Estado da Cultura da Guiné-Bissau, Fernando Saldanha, disse hoje à Lusa que o governo guineense considera a morte de Cesária Évora "uma perda irreparável" não só para Cabo Verde mas para toda a lusofonia e África em geral.

"A voz que se apagou hoje é uma perda irreparável não só para o seu país natal, mas para todos os países da CPLP e para África em geral. Cesária encantou-nos a todos com as suas músicas durante décadas", defendeu Fernando Saldanha.

Embaixada da França em Cabo Verde apresenta as suas “sinceras condolências” à família enlutada e pessoas próximas de Cesária Évora. “França e Cabo Verde perdem hoje a maior embaixadora dos fortes laços de amizade que unem os nossos dois países”, lê-se no comunicado.

Segundo a Inforpress, a representação diplomática francesa em Cabo Verde considera que a voz e as músicas da “diva dos pés descalços” ficarão para sempre na história e no património cultural do povo cabo-verdiano e do mundo da música.

Domingos Simões Pereira, secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), disse hoje estar “certo de que as pessoas serão inspiradas por aquilo” que Cesária Évora “representou e saberão continuar esse trabalho”.

“Muita gente passou a conhecer os países de língua portuguesa, sobretudo os países africanos de língua portuguesa, pela Cesária. (…) Quantas vezes todos reclamámos ser do país da Cesária?”, realçou Domingos Simões Pereira, que é natural da Guiné-Bissau.

José Ribeiro e Castro, presidente da comissão parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, salientou os “magníficos registos" que Cesária Évora deixou da sua "arte extraordinária, inesquecível”.

“As canções de Cesária são um imenso arquipélago de Cabo Verde pelo mundo inteiro, uma marca absolutamente inapagável. A música e a voz de Cesária nunca mais deixarão de se ouvir. Viverão para sempre como embaixada imortal da cultura cabo-verdiana”, escreve o parlamentar do CDS/PP.

Numa mensagem enviada à Lusa, José Ribeiro e Castro afirma que hoje, no dia em que morreu a cantora, se percebe "ainda melhor a força fortíssima do seu trabalho e da sua memória”.

@SAPO CV c/ agências